01/04/15

Coelho, ovo e cruz

Por rev. Ricardo da Mota Leite*
Os supermercados estão abarrotados de ovos de chocolate. Que delícia! Muitos perguntam novamente para o inocente bichinho: “coelhinho da páscoa, que trazes para mim?” O coelho, símbolo de fertilidade, e o ovo de chocolate, símbolo de poder e vigor, são apreciados por todos, principalmente nesta época em que se comemora a Páscoa.
Mas, por mais estranho que pareça, a cruz também é um símbolo da Páscoa. Páscoa tem a ver com libertação provinda do sangue derramado. Vamos recordar? A palavra “Páscoa” em hebraico quer dizer “passagem, passar sobre”. O povo hebreu, estava cativo no Egito por quatrocentos e trinta anos. Mas chegou o dia da libertação.
O grande Faraó egípcio iria experimentar como nunca, a mão pesada de um Deus diferente daqueles deuses que ele adorava. Um Deus pessoal, que ouve o clamor do povo sofrido, que vê a injustiça praticada pelos poderosos, que sabe e conhece tudo e todos, um Deus Soberano. A décima praga seria a morte dos primogênitos. Todas as criaturas no Egito que abriram a madre morreriam.
À meia noite, um anjo passaria por cima daquela terra, e onde estivesse um primogênito, a morte entraria e o levaria. Todavia, havia uma esperança para se livrar de tão grande aflição. Um cordeiro deveria ser morto. Um cordeiro sem defeito, cujo sangue seria aplicado nas ombreiras e na verga da porta de entrada. O sangue seria o sinal, e quando o anjo passasse por cima, pouparia todas as casas onde existisse o sinal feito pelo sangue do cordeiro. Aquele cordeiro sacrificado simbolizava Jesus Cristo, o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Páscoa é muito mais que coelho ou ovos de chocolate. Páscoa é Jesus. Páscoa aponta para a cruz de Cristo onde seu sangue foi vertido por mim e por você.
Jesus “padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, mas ao terceiro dia ressuscitou, subiu ao céu e está sentado junto ao trono de Deus”. Páscoa significa vitória, liberdade da opressão. O povo hebreu se viu livre, como um pássaro diante de um laço que se desfez. Assim acontece com aquele cujo sangue de Cristo lhe é aplicado. O sangue de Jesus derramado na cruz não foi em vão. O sangue do Cordeiro livra da morte espiritual. Isto porque Ele venceu a morte ressuscitando ao terceiro dia. Páscoa é redenção.
A eucaristia ou Santa Ceia, é o grande símbolo da vitória do Cordeiro e do seu povo. O pão simboliza o corpo e o vinho simboliza o sangue do cordeiro. Quando o Destruidor vê o sangue aplicado em nossas vidas, ele apenas passa. Então agora, “quando vossos filhos vos perguntarem: Que rito é este? Respondereis: É o sacrifício da Páscoa ao Senhor, que passou por cima das casas...” (Êxodo 12.23-27).
Que o coelhinho da páscoa e os ovos de chocolate não roubem do seu coração, o verdadeiro sentido da Páscoa.
*Rev. Ricardo da Mota Leite é Secretário Executivo da Apecom, Agência Presbiteriana de Evangelização e Comunicação.

31/03/15

Diferença nos preços de ovos de Páscoa chega a 73%,

De acordo com uma pesquisa feito pelo Órgão de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP), elaborado pelo Núcleo Regional da Fundação em Presidente Prudente, o preço dos ovos de Páscoa de uma mesma marca pode variar muito entre os estabelecimentos, com, diferenças de até 73,43%. Conforme a pesquisa, o preço que teve maior alta foi o ovo Alpino de 350g,da Nestlé, que foi encontrado por R$ 34,59 e R$ 59,99. Ao todo, foram visitados seis estabelecimentos de Presidente Prudente, onde houve a verificação dos preços de 93 ovos e seis bolos de diversas marcas, tipos e modelos, que totalizaram 99 itens. A coleta foi realizada nos dias 16 e 17 de março. O Procon-SP orienta que o consumidor compare os preços, e também, considere a qualidade, peso e preço do item de compra. É importante levar em conta a quem será destinado o chocolate – idade, gosto, restrições. Confira a pesquisa completa na página do órgão. O Procon também oferece um blog com dicas para compras de ovos.

30/03/15

Brasil apanha, mas vence Chile e segue imbatívelseja top afiliado

Em um jogo truncado e em alguns momentos violento, o Brasil venceu o Chile por 1 a 0, no domingo, nos Emirates Stadium, em Londres, com "cara" de Copa América. Foi o último teste da seleção brasileira antes da convocação para o torneio sul-americano, que começa no dia 11 de junho, justamente no Chile. "Dunga faz o trabalho dele muito bem', Falou Felipão sobre seleção brasileira Em campo, Dunga experimentou, mudando sete titulares da vitória por 3 a 1 sobre a França, na última quinta-feira, mas viu a equipe verde e amarela fazer um primeiro tempo apático, no qual o lance que mais chamou a atenção foi o pisão proposital que o zagueiro Medel, conhecido como "Pitbull", deu na perna de Neymar. Na segunda etapa, o treinador brasileiro fez diversas modificações e viu seu time melhorar, conseguindo finalmente quebrar a defesa adversária. Aos 26 minutos, Danilo de excelente enfiada de bola para Roberto Firmino, que havia começado no banco de Luiz Adriano. Com calma, o jogador do Hoffenhein driblou Bravo e tocou para as redes. O Chile teve mais posse de bola durante a partida, mas pouco ameaçou de fato a meta de Jefferson. O arqueiro só trabalhou de verdade aos 40 da segunda etapa, quando o meia Matias Fernández cobrou falta venenosa e exigiu grande defesa do botafoguense. O resultado mantém a invencibilidade de Dunga em seu retorno à equipe nacional. Desde que assumiu, logo após o Mundial de 2014, o treinador gaúcho conquistou oito vitórias em oito partidas. Antes da estreia no torneio de seleções, a seleção brasileira ainda terá mais dois amistosos: contra o México, em 6 de junho, e Honduras, em 9 de junho. Até lá, Dunga terá que quebrar a cabeça para decidir quais jogadores formarão o grupo que irá buscar o 9º título do Brasil na competição - o último foi em 2007. O jogo Dunga fez sete mudanças em relação à vitória sobre a França: saíram Filipe Luís, Luiz Gustavo, Elias, Oscar, Duglas Costa, Willian e Roberto Firmino, entraram, respectivamente, Marcelo, Souza, Fernandinho, Douglas Costa, Philippe Coutinho e Luiz Adriano. A equipe, porém, não encaixou, e o Brasil fez um primeiro tempo fraco. Na segunda etapa, Dunga recolocou os titulares da vitória contra a França e o Brasil melhorou. O primeiro lance de perigo foi do Chile, aos 21, quando Alexis Sánchez cobrou falta e Jefferson defendeu no meio do gol. Pouco depois, em um belo contra-ataque, saiu o gol verde e amarelo. Aos 32, Firmino ainda teve chance de fazer seu segundo, ao receber na meia-lua a dar belo corta para a esquerda. Na hora da finalização, contudo, o chute saiu torto. A Roja quase empatou aos 40, quando Matias Fernández cobrou falta venenosa e obrigou Jefferson a se esticar todo e fazer linda defesa. No último lance do duelo, já nos acréscimos, Neymar finalmente teve chance clara de marcar em cobrança de falta. No entanto, a finalização do brasileiro saiu por cima do gol e o placar ficou mesmo no 1 a 0. FICHA TÉCNICA BRASIL 1 x 0 CHILE Amistoso Internacional Local: Emirates Stadium, em Londres (ING) Data: 29 de março de 2015, domingo Horário: 11h (horário de Brasília) Árbitro: Martin Atinkson (ING) Assistentes: John Brooks e Gary Beswick (ambos ING) Cartões amarelos: Elias, Miranda, Fernandinho, Neymar e Thiago Silva (BRA), Albornoz e González (CHI) GOL BRASIL: Roberto Firmino, aos 26 minutos do segundo tempo BRASIL: Jefferson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo (Filipe Luís); Souza (Elias), Fernandinho, Douglas Costa (Willian) e Philippe Coutinho (Robinho); Neymar e Luiz Adriano (Roberto Firmino) Técnico: Dunga CHILE: Bravo; Medel, Jara e Albornoz; Isla, Millar (Matías Fernández), Aránguiz, Vidal (Vargas) e Mena (González); Hernández e Alexis Sánchez Técnico: Jorge Sampaoliseja top afiliado